quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

(Vídeo) - O Dr. Consórcio copiou a ideia dos robôs voadores, a diferença, é que ele aparece pessoalmente!

Vídeo: site de vendas vai usar robôs voadores para fazer entregas; assista

Segundo Jeff Bezos, CEO da companhia, as entregas com drones podem começar a ser feitas em 5 anos
Segundo Jeff Bezos, CEO da companhia, as entregas com drones podem começar a ser feitas em 5 anos

 
A gigante das vendas pela internet Amazon planeja inovar a forma como faz as entregas de seus produtos. Durante o programa de televisão 60 minutes, na noite de domingo (1), o CEO da companhia, Jeff Bezos, anunciou sua nova criação: drones, robôs voadores, que poderão carregar pacotes de até 2,20 kg até a casa dos consumidores em menos de meia hora. O peso pode parecer restritivo mas, segundo Bezzos, pacotes com essa medida equivalem à 86% das entregas da empresa. O novo sistema recebeu o nome de Amazon Prime Air.
 
O vídeo promocional do anúncio, que explica como funcionaria uma dessas entregas aéreas, causou tamanho furor na rede que já foi visto mais de 2 milhões de vezes. As imagens mostram como, ao final de uma esteira rolante, um drone pegaria o produto, para levá-lo até seu endereço de destino. Segundo Bezzos, entregas desse tipo devem começar a ocorrer dentro de cinco anos: apesar de dispor da tecnologia necessária, a Amazon precisa receber autorização das autoridades americanas para implantar o sistema.
 
O novo sistema de entregas da Amazon entra para a já longa lista de investimentos em tecnologia que Bezzos fez nos últimos anos. Além das inovações na Amazon, o empresário investe, de maneira independente, no barateamento de viagens espaciais e no setor de impressão 3D.
 
 
 



Assista ao vídeo e deixe o seu comentário no Verdade Gospel.
 

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

APRENDA A USAR O SEU FGTS COM INTELIGÊNCIA COM O DR. CONSÓRCIO. RECENTE ELEVAÇÃO DE TETO PARA USO DO FGTS PODE AUMENTAR PROCURA POR CONSÓRCIO DE IMÓVEIS


RECENTE ELEVAÇÃO DE TETO PARA USO DO FGTS PODE AUMENTAR PROCURA POR CONSÓRCIO DE IMÓVEIS


Mais de treze mil trabalhadores-consorciados utilizaram seus saldos movimentando R$ 290 milhões, em pouco mais de três anos. 
 
A recente medida do Conselho Monetário Nacional (CMN) elevando o valor do imóvel que pode ser comprado com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) proporciona benefícios aos consorciados-trabalhadores participantes do Sistema de Consórcios. 
 
Com os novos limites de R$ 750 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal e de R$ 650 mil para outros estados, consorciados-trabalhadores já estão demonstrando interesse por essa oportunidade. Paralelamente, outros brasileiros serão estimulados a aderirem ao mecanismo, unindo a modalidade mais econômica de adquirir imóvel de forma parcelada com uso do saldo da conta do FGTS. 
 
Para Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios, “a mudança é positiva, pois o antigo limite de R$ 500 mil valia desde 2009. Nesses últimos anos, observamos aumento da inflação próximo aos 25%, e, principalmente, valorização dos imóveis, fatos que trouxeram defasagem. Acreditamos que, com os novos valores, os atuais e futuros participantes dos consórcios de imóveis poderão concretizar mais facilmente o sonho da casa própria”.
 
Diferente dos financiamentos que cobram juros, nos consórcios não há essa cobrança, ficando a taxa de administração média em 0,15% ao mês, para prazos de 120 meses.
 
Nas simulações é possível avaliar que, além de parcelas acessíveis a orçamentos pessoais ou familiares, os custos finais ficam abaixo de outros mecanismos disponíveis no mercado, diluídos ao longo de dez anos, sem considerar qualquer utilização do FGTS.
 
IMÓVEL DE R$ 650.000,00 EM 120 MESES 
Taxa de administração de 0,15% ao mês 
Reajuste anual pelo INCC de 5% 
Parcela : 
Inicial : 6.391,67 Total pago Variação 
Média : 8.039,37 
Final : 9.915,57 964.724,36 48,4% 
 
IMÓVEL DE R$ 750.000,00 EM 120 MESES 
Taxa de administração de 0,15% ao mês 
Reajuste anual pelo INCC de 5% 
Parcela : 
Inicial : 7.375,00 Total pago Variação 
Média : 9.276,20 
Final : 11.441,05 1.113.143,49 48,4% 
 
Levantamentos feitos pela assessoria econômica da ABAC, baseada em dados fornecidos pela Caixa, gestora dos recursos do FGTS, indicam que no período de 2010 a 2013 foram liberados aproximadamente R$ 290 milhões por meio do Consórcio, beneficiando mais de 13,7 mil consorciados-trabalhadores. 
 
QUEM TEM DIREITO 
 
A regra estará disponível para consorciados-trabalhadores, conforme regras e condições de uso do FGTS, dentre elas: 
 
- Possuir três anos de trabalho sob o regime do FGTS, somando-se os períodos trabalhados, consecutivos ou não, na mesma ou em diferentes empresas. 
- O imóvel adquirido deve estar onde o trabalhador exerce ocupação principal ou reside há mais de um ano (incluindo os municípios vizinhos ou da mesma região metropolitana). 
- O trabalhador não pode ser proprietário de imóvel no local onde exerce ocupação principal, nem ser detentor de financiamento ativo do SFH - Sistema Financeiro da Habitação em qualquer parte do território nacional, na data de aquisição do imóvel; 
- O imóvel e a cota de consórcio devem estar em nome do trabalhador titular da conta vinculada. 
- O imóvel tem que ser residencial urbano e deve ter sido adquirido com os recursos da carta de crédito do consórcio. 
- O valor avaliado para o imóvel, na data da aquisição, deve respeitar o limite estabelecido pelo Sistema Financeiro de Habitação - SFH. A partir deste mês de outubro os valores estipulados são de R$ 750 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal e de R$ 650 mil para outros estados. 
 
Mais informações poderão ser obtidas no Manual da Moradia Própria, acessando o link: 
 
(http://downloads.caixa.gov.br/_arquivos/fgts/moradia/MANUAL_MORADIA_PROPRIA.pdf) ou no site da ABAC www.abac.org.br. 
 
NÚMEROS DOS CONSÓRCIOS DE IMÓVEIS 
 
Segundo o último balanço do Sistema de Consórcios, divulgado pela ABAC, o volume de participantes ativos em agosto deste ano chegou aos 690,5 mil, 4,3% mais que os 662 mil, no mesmo mês em 2012. Com tíquete médio nacional de R$ 110,4 mil, o setor apresentou um volume acumulado de negócios de R$ 13,5 bilhões (jan-ago/2013), 2,2% maior que os R$ 13,2 bilhões (jan-ago/2012) anteriores. 
 
OUTRAS INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE CONSÓRCIOS PODEM SER ENCONTRADAS NO SITE www.abac.org.br. 
 
Clique em Consumidores e Conheça o Consórcio – Consórcio Passo-a-Passo. 
 
Também veja as seguintes cartilhas: FGTS + Consórcio = Casa Própria e Consórcio, Uma Poupança Programada. 
 
ACOMPANHE TAMBÉM OS CONSÓRCIOS PELO TWITTER www.twitter.com/abacweb. 
 
JORNALISTA, CADASTRE-SE NA SALA DE IMPRENSA DO NOSSO SITE – www.abac.org.br 
 
MENSAGEM DO MÊS 
 
CONSÓRCIO: UMA EXCELENTE FORMA DE CONSTRUIR OU 
AMPLIAR SEU PATRIMÔNIO. 




(VÍDEO) - DR. CONSÓRCIO informa o crescimento do índice de compra por consórcios no Ceará. Segurança no Consórcio é comprar com Dr. Consórcio. Estamos selecionando representantes e vendedores no Ceará.

(VÍDEO) - Cresce o índice de compra por consórcios no Ceará

(VÍDEO) - DR. CONSÓRCIO informa o crescimento do índice de compra por consórcios no Ceará. Segurança no Consórcio é comprar com Dr. Consórcio.  Estamos selecionando representantes e vendedores no Ceará.


Enviar o CV para o e-mail: doutorconsorcio100@gmail.com



quarta-feira, 2 de outubro de 2013

DR. CONSÓRCIO: "Consórcio chega a 5,55 milhões de participantes".

Participantes de consórcios bate novo recorde em agosto

Número é recorde para o setor nos últimos dez anos, informou hoje (30) a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac)


Elaine Patrícia Cruz, da 
Indústria de autopeças: de acordo com a Abac, o crescimento ocorreu principalmente nos setores de veículos automotores, imóveis e serviços

São Paulo – O Sistema de Consórcios cresceu 10,1% em um ano, ao passar de 5,04 milhões de participantes ativos em agosto de 2012 para 5,55 milhões no mesmo mês deste ano.
O número é recorde para o setor nos últimos dez anos, informou hoje (30) a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac).
De acordo com a Abac, o crescimento ocorreu principalmente nos setores de veículos automotores, imóveis e serviços. No caso de transporte rodoviário de carga, houve alta de 7,1% no número de participantes na comparação entre agosto deste ano e agosto de 2012.
No de imóveis, houve aumento de 4,3% em igual período e, no setor de veículos leves, a alta chegou a 24,3%, na mesma base de comparação.
Já as vendas de novas cotas ficaram estáveis entre janeiro e agosto deste ano, com 1,66 milhão de vendas em 2013 na comparação com o mesmo período do ano passado.
As contemplações, por sua vez, cresceram 1,2% nos oito primeiros meses de 2013, subindo de 807,6 mil em 2012 para 816,9 mil este ano.


























Consórcio chega a 5,55 milhões de participantes
Volume registrado no acumulado até agosto é 10,1% maior que em igual período de 2012

REDAÇÃO AB
Nos primeiros oito meses de 2013, o sistema de consórciosapresentou crescimento em diversos setores. O número de participantes ativos somou 5,55 milhões em agosto, 10,1% a mais que os 5,04 milhões registrados no mesmo mês em 2012. Os números foram divulgados pela Associação Brasileira das Administradoras de Consórcio (Abac).

Análises mostram que o comportamento do consumidor tem mudado em relação à aquisição de veículos e outros bens. “Com a carta de crédito, o contemplado exerce seu poder de compra como se tivesse dinheiro no bolso, pagando à vista, negociando descontos ou barganhando valores, fatos que vêm estimulando mais adesões”, afirma o presidente executivo da Abac, Paulo Roberto Rossi.

“Ao decidir pelo consórcio, certamente o consumidor já pesquisou, comparou e avaliou a necessidade imediata ou não do novo bem ou serviço”, afirma. De acordo com a Abac, a modalidade de compra está presente entre 6% e 80% das vendas de automóveis e imóveis nos diferentes Estados. Acompanhe a seguir o desempenho por região geográfica de cada segmento.

VEÍCULOS LEVES

Com base na média nacional semestral de 13,94% de participação dos consórcios nas vendas de veículos leves no mercado interno, a Região Norte apresentou maior presença, atingindo 18,74%, com destaque para o Amazonas, com 23,14%. O Acre teve 19,57% e o Pará, 18,72%. Na sequência vêm o Nordeste, com 15,31%, o Sudeste, com 13,69%, o Sul, com 13,03%, e o Centro-Oeste, com 12,67%.

CAMINHÕES

No transporte rodoviário de carga, um dos principais sinalizadores da economia, a venda de caminhões teve expressiva presença dos consórcios. Enquanto a média nacional no semestre ficou em 21,82%, o Norte apresentou índice maior, 34,23%, seguido do Centro-Oeste com 32,72%. A classificação mostrou ainda que as três outras registraram porcentuais próximos, ficando o Sudeste com 20,31%, o Sul com 19,62% e o Nordeste com 19,37%. Entre os Estados, o Amazonas foi o maior, com 64,12%, Mato Grosso em segundo com 53,16%, e o Amapá com 39,31% em terceiro.

MOTOCICLETAS

No mercado de duas rodas, a média nacional de participação dos consórcios nas vendas internas esteve em 47,05%; praticamente uma a cada duas motos vendidas foi por consórcio. A Região Norte liderou as presenças, com 61,85%, seguida pelo Centro-Oeste, com 50,81%, e Nordeste, com 50,78%. Depois, vieram o Sudeste, com 38,35%, e o Sul com 37,44%. A liderança estadual foi do Amapá, com 78,43%, ligeiramente acima de Rondônia, com 77,91%, e Tocantins com 75,79%.






































quinta-feira, 19 de setembro de 2013

DR. CONSÓRCIO AVISA: VENDA DE CONSÓRCIOS AUMENTAM 10% EM 2013 d.C


Segundo Abac, venda de consórcios aumentam 10%


Folha da Manhã







Com o aumento de 10%, de janeiro a julho deste ano, o Sistema de Consórcios registrou o número mais alto de participantes dos últimos dez anos. São 5,5 milhões de pessoas que foram ou estão cadastradas em consórcios pelo país. Em Passos, os consórcios oferecidos pelos bancos estão com grande procura, principalmente por pessoas que querem programar a compra de um bem.

Segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), os consórcios venderam 1,46 milhão de novas cotas naquele período. “O pessoal tem procurado mais pela questão da taxa de juros, que não tem. O que é cobrado é apenas uma taxa de administração”, afirma o assistente de vendas Marcos Junior de Assis, da Caixa Econômica Federal (CEF).

São cotas para garantir a compra de carros, motocicletas, imóveis, lotes, construção de residências, casa de campo, sítio, fazenda, entre outras. Para quem não necessita construir e adquirir um bem imediatamente, o consórcio, conforme informa Assis, é melhor do que financiamento. “O consórcio é uma grande saída. Além de não pagar juros, eles podem comprar o imóvel que tanto querem”, disse.

Ele explica que são várias as formas de ser contemplado com a carta de consórcio, como aplicando lances, utilizando o fundo de garantia para dar entrada ou amortizar parcelas. São três tipos de contemplações: “você tem que ser sorteado, ou dar o maior lance da carta, ou por lance fixo”.

Já no Banco do Brasil, as formas são praticamente as mesmas. Pode-se cadastrar em consórcios para garantir casa, carro, motocicleta, eletrodoméstico, caminhão e tratores. Segundo o gerente Nilton Resende, a única desvantagem seria o fato de não haver certeza de contemplação imediata para o caso do cliente ter a necessidade de utilização do bem.

Ainda conforme ele, as vantagens são as taxas de administração mais atrativas do que as de financiamento e o seguro de vida. “O consórcio apresenta taxas de administração muitas vezes mais atrativas do que as do financiamento, e outra é o fato de que para contratantes de até 65 anos, a prestação traz embutida um seguro de vida. Assim, se houver sinistro (morte) a cota é quitada e transforma-se em patrimônio para os herdeiros. Isso já não ocorre com o financiamento que, se não tiver seguro de vida acoplado, transforma-se em dívida para os herdeiros”, explicou. 



sexta-feira, 13 de setembro de 2013

DR. CONSÓRCIO INFORMA: Número de participantes de consórcios cresce 10% de janeiro a julho de 2013 D.C. Venha trabalhar com o DR. CONSÓRCIO e ter uma Franquia do DR. CONSÓRCIO.

Número de participantes de consórcios cresce 10% em sete meses

Publicação: 05/09/2013 20:04 Atualização:


O Sistema de Consórcios cresceu 10% de janeiro a julho deste ano, considerando-se o total de participantes, informou nesta quinta-feira (5) a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac). Ao divulgar os resultados do setor, a Abac ressaltou que o sistema incluiu, nesse período, 5,5 milhões de pessoas no período, o número mais alto dos últimos dez anos.

Os consórcios venderam 1,46 milhão de novas cotas, o que representou alta de 1,4% no período. Segundo a Abac, isso demonstra confiança do consumidor nos consórcios. “Esses números sinalizam que o brasileiro vem, mês após mês, ano após ano, buscando poupar com objetivo definido, com prazos maiores, custo menor e possibilidade de ser contemplado no decorrer da duração do grupo. Ou seja, praticando a indispensável disciplina financeira adequada ao orçamento pessoal ou familiar”, disse o presidente executivo da Abac, Paulo Roberto Rossi.

Os destaques do setor foram o financiamento de veículos leves, que somaram 2,15 milhões de participantes em julho, o de veículos pesados, que somou 207 mil participantes em julho, e o de imóveis, que vem se recuperando gradativamente, e que somou 690 mil participantes no mesmo mês.

Apesar do crescimento, a associação diz que há “indícios de insegurança” no setor, gerados pelas incertezas do momento econômico, o que tem feito com que as pessoas adiem sua decisão em assumir compromissos de médio e longo prazos e financiar bens por meio de consórcios.




terça-feira, 10 de setembro de 2013

OPORTUNIDADE DE TRABALHO - ÁREA COMERCIAL/VENDAS

OPORTUNIDADE DE TRABALHO  - ÁREA COMERCIAL/VENDAS

Uma das maiores empresas de consórcio do Brasil está contratando com experiência ou sem experiência para trabalhar com vendas de consórcios. 

Possibilidade de ganhos de R$ 10.000,00 mensais.

O profissional pode optar pelas opções: CLT (Salário Mínimo Garantido, mais benefícios e Comissões de até 1,5%), Autônomo (comissões até 2,5%) ou PJ (Comissões até 5% - vagas disponíveis para todo o Brasil). Cartas de Créditos de R$ 5.000,00 até R$ 10 milhões de reais (motos, serviços, veículos, caminhões, imóveis, embarcações, aeronaves, equipamentos e máquinas)

Enviar CV para o e-mail: bancodetalentos@bol.com.br   
http://vagasparavendedoresdeconsorcio.blogspot.com 

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO: Consórcio faz investidor ganhar hábito de poupar. FAÇA CONSÓRCIO COM O DR. CONSÓRCIO.

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO: Consórcio faz investidor ganhar hábito de poupar. FAÇA CONSÓRCIO COM O DR. CONSÓRCIO.

Clique no link abaixo para acessar a reportagem:
http://abac.org.br/sistemas/noticiasTextuais/1_(201308204600)o_estado_de_sp.pdf



IMPRENSA: Mercado de consórcio para veículos fatura mais de R$ 40 bi no 1º semestre. CONSÓRCIO É COM O DR. CONSÓRCIO.





Os consórcios de veículos ganharam um impulso nos últimos cinco anos e têm conseguido garantir vendas em período de freio da economia. De janeiro a junho, os negócios do setor somaram R$ 40,8 bilhões, alta de 6,8% frente a igual período do ano anterior. O número de participantes cresceu 9,6% na mesma base de comparação. No país, os emplacamentos de veículos novos avançaram 4,8% no primeiro semestre em comparação ao mesmo período de 2012.

As vendas de consórcios perderam ritmo entre 2007 e 2008 (veja quadro), mas voltaram a crescer pegando carona no avanço do interesse do brasileiro pelo carro novo e nas políticas de estímulo do governo ao setor automotivo, como a redução do IPI, além da queda da taxa de juros no país. Disputando espaço com o financiamento, o consórcio tenta fisgar o consumidor com taxas de administração atrativas.

Na última semana, o administrador Mateus Vilaça Soares arrebatou um carro no valor de R$ 109 mil. Antes de optar pela modalidade, ele consultou três bancos para avaliar o valor das taxas de juros dos financiamentos e acabou se decidindo pelo consórcio de 100 meses, com taxa de administração de 12%. “Dei um lance no valor de 50% do bem e recebi o carro. O restante das prestações vou pagar nos próximos quatro anos”, explicou. Segundo Mateus, esse é o segundo consórcio de que participa, mas antes de aderir fez muitas contas e pesquisa de mercado.

João Pedro Salomão, presidente na Região Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro) da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (AbaC), diz que a modalidade representa 15% dos veículos vendidos no país e 11% dos veículos comercializados no estado “O brasileiro tem planejado mais. Percebemos isso até mesmo entre a classe C, que se tornou uma grande consumidora do produto”, ressaltou.

(...)

Consórcio ajuda a planejar compra futura mas exige atenção. Consórcio com segurança é com o DR. CONSÓRCIO.

No primeiro semestre de 2013 houve 1,3 milhão de adesões aos consórcios, um aumento de 9,6% em relação a igual período do ano anterior


Brasília – O sistema de consórcios tem crescido a cada ano e atingiu 5,47 milhões de consorciados em todo o país, no balanço de junho último. Os números foram divulgados pela Associação Brasileira de Administradores de Consórcios (Abac). No primeiro semestre de 2013 houve 1,3 milhão de adesões aos consórcios, um aumento de 9,6% em relação a igual período do ano anterior. Os números de julho serão conhecidos no final deste mês.

A evolução contabilizada demonstra a confiança crescente da sociedade no sistema de consórcios para compras futuras, além de mostrar que o consumidor brasileiro está mais atento aos benefícios da educação financeira. Sai mais em conta uma compra planejada 
do que uma aquisição imediata, muitas vezes por impulso, com financiamento a juros altos, destacou o presidente da Abac, Paulo Roberto Rossi.

Essa conscientização, segundo ele, tem feito com que cada vez mais brasileiros optem por aquisições de bens duráveis – veículos, imóveis e eletroeletrônicos, por exemplo – por meio de consórcios, que operam sob regulamentação e fiscalização do Banco Central. 

autoridade monetária disponibiliza, em seu endereço eletrônico na internet, a relação completa das administradoras de consórcios autorizadas a funcionar, suas empresas e grupos em andamento e presta informações, também, pelo telefone 0800 979 2345 da Central de Atendimento ao Público.

O Banco Central recebe denúncias de eventuais desrespeitos aos direitos do consumidor. Muitas delas, não bem fundamentadas, de acordo com a gerente do Departamento Jurídico da Abac, Elaine da Silva Gomes, porque alguns consorciados não se dão ao trabalho de ler os contratos de adesão, antes de assinar ou fazer qualquer pagamento. Este, por sinal, deve ser em cheque nominativo ou qualquer outra forma que permita prova, menos em dinheiro, 
como aconselha a assessoria do banco.

Além disso, Elaine Gomes recomenda que mesmo depois de constatar que a administradora está autorizada, é aconselhável que o consumidor tenha a precaução de ligar para os órgãos regionais de defesa do consumidor e verificar se há reclamações contra a empresa, bem como observar se o contrato de adesão está redigido de forma clara, uma vez que cria vínculos obrigacionais entre as duas partes.

A Abac também presta consulta para dirimir dúvidas, e ela mesma pode ser procurada diretamente, no telefone (11) 3231-5022, para esclarecer questões como a que foi levantada pelo paulista Wagner Reis Cândido. Ele disse que viu um anúncio na internet de oferecimento de contrato de cota da Marcas Reunidas Administradora de Consórcios, de Guaratinguetá (SP), liquidada extrajudicialmente pelo Banco Central em 2002. Perguntada a respeito, Elaine Gomes disse que precisa de mais elementos para se posicionar e pediu que o reclamante entre em contato com a Abac.

Fonte via:  http://abac.org.br/sistemas/noticiasTextuais/1_(201308225202)portal_exame.pdf



quinta-feira, 22 de agosto de 2013

DR. CONSÓRCIO AFIRMA QUE O CONSÓRCIO AJUDA A PLANEJAR COMPRA FUTURA MAS EXIGE ATENÇÃO, E A REPORTAGEM DA EXAME FORTALECE A IDEIA.

Consórcio ajuda a planejar compra futura mas exige atenção

No primeiro semestre de 2013 houve 1,3 milhão de adesões aos consórcios, um aumento de 9,6% em relação a igual período do ano anterior


Brasília – O sistema de consórcios tem crescido a cada ano e atingiu 5,47 milhões de consorciados em todo o país, no balanço de junho último. Os números foram divulgados pela Associação Brasileira de Administradores de Consórcios (Abac). No primeiro semestre de 2013 houve 1,3 milhão de adesões aos consórcios, um aumento de 9,6% em relação a igual período do ano anterior. Os números de julho serão conhecidos no final deste mês.

A evolução contabilizada demonstra a confiança crescente da sociedade no sistema de consórcios para compras futuras, além de mostrar que o consumidor brasileiro está mais atento aos benefícios da educação financeira. Sai mais em conta uma compra planejada do que uma aquisição imediata, muitas vezes por impulso, com financiamento a juros altos, destacou o presidente da Abac, Paulo Roberto Rossi.
Essa conscientização, segundo ele, tem feito com que cada vez mais brasileiros optem por aquisições de bens duráveis – veículos, imóveis e eletroeletrônicos, por exemplo – por meio de consórcios, que operam sob regulamentação e fiscalização do Banco Central. A autoridade monetária disponibiliza, em seu endereço eletrônico na internet, a relação completa das administradoras de consórcios autorizadas a funcionar, suas empresas e grupos em andamento e presta informações, também, pelo telefone 0800 979 2345 da Central de Atendimento ao Público.
O Banco Central recebe denúncias de eventuais desrespeitos aos direitos do consumidor. Muitas delas, não bem fundamentadas, de acordo com a gerente do Departamento Jurídico da Abac, Elaine da Silva Gomes, porque alguns consorciados não se dão ao trabalho de ler os contratos de adesão, antes de assinar ou fazer qualquer pagamento. Este, por sinal, deve ser em cheque nominativo ou qualquer outra forma que permita prova, menos em dinheiro, como aconselha a assessoria do banco.
Além disso, Elaine Gomes recomenda que mesmo depois de constatar que a administradora está autorizada, é aconselhável que o consumidor tenha a precaução de ligar para os órgãos regionais de defesa do consumidor e verificar se há reclamações contra a empresa, bem como observar se o contrato de adesão está redigido de forma clara, uma vez que cria vínculos obrigacionais entre as duas partes.
A Abac também presta consulta para dirimir dúvidas, e ela mesma pode ser procurada diretamente, no telefone (11) 3231-5022, para esclarecer questões como a que foi levantada pelo paulista Wagner Reis Cândido. Ele disse que viu um anúncio na internet de oferecimento de contrato de cota da Marcas Reunidas Administradora de Consórcios, de Guaratinguetá (SP), liquidada extrajudicialmente pelo Banco Central em 2002. Perguntada a respeito, Elaine Gomes disse que precisa de mais elementos para se posicionar e pediu que o reclamante entre em contato com a Abac.
Fonte: EXAME

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

CONSÓRCIO OU FINANCIAMENTO? DESCUBRA A MELHOR FORMA DE COMPRAR SEU CARRO. PARA O SEU BOLSO, O CONSÓRCIO É A MELHOR OPÇÃO. Maiores informações com o economista Luis Cavalcante.

Ter mais conforto, independência e não precisar recorrer ao transporte público para se locomover são alguns dos motivos que levam milhares de clientes todos os dias às concessionárias do país. Para realizar uma compra tão importante e não comprometer muito do orçamento, escolher com cuidado a forma de pagamento é fundamental. Saiba as vantagens e desvantagens do consórcio e do financiamento.
Financiamento
Para o educador financeiro e fundador da Academia do Dinheiro, Mauro Calil, a única vantagem do financiamento é poder sair dirigindo o veículo em apenas uma semana. Para ele, a opção de compra funciona para quem tem pressa.
Entre as desvantagens está o valor do automóvel. “O cliente acaba pagando duas vezes o valor financiado e depois de alguns anos, o carro desvaloriza. Ou seja, sai muito caro”, afirma Calil.
Os juros do financiamento são maiores que os do consórcio. Segundo a Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), os juros médios de financiamento estão em 1,53% ao mês, enquanto a taxa de administração média do consórcio é de 0,22%, que equivale a 15% no período total contratado, que varia de 50 a 70 meses, segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios. 
Os juros para o financiamento dependem do modelo escolhido e de quanto o cliente está disposto a dar de entrada. Época NEGÓCIOS simulou a compra de um veículo no valor de R$ 30 mil que deveria ser pago em um prazo de três anos. Com o Custo Efetivo Total, que inclui juros, taxa de cadastro de abertura de crédito, IOF e emissão de boleto, o cliente pagaria, oferecendo R$ 10 mil de entrada com juros de 1,53%, o total de R$ 37.087,94.
Outra desvantagem do financiamento é a falta de planejamento na hora de comprar. “O futuro proprietário só pensa se o valor da parcela irá caber no bolso. Ele esquece todas as contas adicionais, como combustível e estacionamento”.
Consórcio
Se você não tem pressa, quer fazer uma compra planejada e deseja flexibilidade, o consórcio é a opção mais indicada. Calil também recomenda a forma de pagamento para quem deseja trocar de carro no futuro, pois é possível escolher o período adequado para substituir o veículo.
Além de favorecer o planejamento, a forma de pagamento dá flexibilidade. “Se você não conseguir pagar a parcela e ainda não tiver utilizado a carta de crédito, seu nome não vai parar no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito)".
Apesar de ter uma taxa de administração menor, os participantes do consórcio só levam o bem para casa depois de serem contemplados. É preciso ser sorteado ou dar o lance mais alto para ser escolhido. Mas, para quem precisa ter um carro com urgência, o educador financeiro aconselha financiar um automóvel popular para pagar menos juros e depois, com mais dinheiro, passar para o consórcio. Outra opção é o consórcio com lance embutido, que permite usar a própria carta de crédito para dar um lance.
Época NEGÓCIOS também simulou a obtenção de uma carta de crédito de R$ 30 mil no prazo de 70 meses pela Caixa Econômica Federal. As taxas inclusas na parcela são: taxa de adesão 1%, taxa de administração 14%, seguro 0,0680% e fundo de reserva 3%, que será devolvido no final do consórcio. O cliente teria pago pelo veículo R$ 35.420,40.

O fundo de reserva é uma espécie de fundo de emergência. Caso aconteça de consorciados desistirem, o fundo assegura a comtemplação do restante do grupo.
É importante lembrar que, para ter certeza que está investindo seu dinheiro com segurança, verifique as condições da administradora. Só podem administrar grupos de consórcios empresas que possuem autorização emitida pelo Banco Central, que avalia sua capacidade financeira, econômica e gerencial.
Vantagens Desvantagens 
Financiamento- Aquisição Imediata- Juros mais altos (1,53% ao mês)
- Compra por impulso
Consórcio- Taxa de administração baixa (0,22% ao mês)
- Flexibilidade no pagamento
- Compra planejada
- A contemplação não é imediata
http://epocanegocios.globo.com/Inspiracao/Vida/noticia/2013/08/consorcio-ou-financiamento-descubra-melhor-forma-de-comprar-seu-carro.html



quinta-feira, 11 de julho de 2013

CURSO PRESENCIAL E ONLINE - COMO COMPRAR O SEU IMÓVEL SEM JUROS!


DR. CONSÓRCIO O SEU AMIGO EM CONSÓRCIO!


ABRAPIC - Associação Brasileira de Poupadores e Investidores em Consórcio.


ABRAPECON - Associação Brasileira de Profissionais Especialistas em Consórcio.


CONSÓRCIO PRECISA SER COM O DR. CONSÓRCIO PARA A SUA SEGURANÇA.


NA LUTA CONTRA A PEDOFILIA


CONSÓRCIO É COM O DR. CONSÓRCIO


Milton Friedman


Abraham Lincoln


CONSÓRCIO DE SERVIÇOS SAI ATÉ 70% MAIS BARATO E COM O DR. CONSÓRCIO OS BENEFÍCIOS AUMENTARÃO.

Consórcio de serviços sai até 70% mais barato

Com pouca burocracia e menor risco, o consórcio não tem juros e as prestações são 3,4 vezes menoresJUCA GUIMARÃES 

O consórcio de serviços existe no Brasil há poucos anos e se tornou a opção mais barata para custear despesas planejadas. Na comparação com o empréstimo pessoal nos bancos, o valor pago no consórcio é até 70,8% menor.
Por exemplo, um empréstimo de R$ 10 mil pago em 36 vezes custa R$ 40.546,80. Um consórcio de serviços no mesmo valor e no mesmo  prazo custa R$ 11.808.
O consórcio é mais barato porque não cobra juros, apenas uma taxa de administração que varia entre 0,3% e 0,5% ao mês. Os empréstimos têm juros de, em média, 11% ao mês.
“Além disso, os consórcios não têm a mesma burocracia que os bancos na liberação do crédito. No banco, ele é visto como um devedor. Na administradora do consórcio, o cliente é visto como um poupador”, disse Paulo Roberto Rossi, presidente da Abac (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios).
Desde 2009, quando foram liberados os consórcios de serviços no país, o volume de clientes cresceu 331%.
 
No consórcio, o cliente procura uma administradora e entra em um grupo cujo valor e prazo estão dentro dos seus planos. O valor do crédito varia entre R$ 1,5 mil e R$ 40 mil e o prazo é a partir de 12 meses.
Já no primeiro mês, todos concorrem no sorteio e também podem oferecer lances para ter o dinheiro liberado. De acordo com o grupo, pode até ser definido mais de um sorteio por mês.
Troca/ Se precisar, o cliente pode trocar de grupo para aumentar ou diminuir o valor da cota. Se ele quiser desistir, pode transferir o consórcio para outra pessoa. No caso de desistência, sem substituição, o cliente recebe de volta o que  pagou. Todo mês, são realizados sorteios de devolução.





















Fonte: 

quinta-feira, 13 de junho de 2013

DR. CONSÓRCIO: Número de consorciados cresce 11,1% em um ano, diz Abac


O setor de veículos leves, que inclui automóveis, camionetas e utilitários, teve alta de 23,5% no período de um ano

Do Estadão Conteúdo
 Shutterstock
O número de participantes de consórcios aumentou 11,1% entre abril de 2012 e abril de 2013 (grifo do Dr. Consórcio), elevando o volume de participantes de 4,88 milhões para 5,42 milhões (grifo do Dr. Consórcio) no período, apontam dados da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (Abac), divulgados nesta segunda-feira. De acordo com a Abac, o crescimento foi bem dispersado entre os setores em que é possível obter consórcios. O setor de veículos leves, que inclui automóveis, camionetas e utilitários, teve alta de 23,5% (grifo do Dr. Consórcio) no período de um ano. Na sequência aparecem imóveis (5,8%), motocicletas (5,2%), veículos pesados (4,6%) e serviços (23,3%). (grifo do Dr. Consórcio

No primeiro quadrimestre do ano, entre janeiro e abril, as vendas de novas cotas de consórcio cresceram 4,1% (grifo do Dr. Consórcio) na comparação com o mesmo período de 2012, somando 837,2 mil ante 804,2 mil no ano passado (grifo do Dr. Consórcio). Já as contemplações - momento que o consorciado recebe a carta de crédito e pode adquirir seus bens ou serviços - tiveram aumento de 0,6% nos primeiros quatro meses do ano na mesma base de comparação, totalizando 398,9 mil no período.
 
O volume de negócios também teve alta, crescendo 11,4% entre janeiro e abril deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, atingindo R$ 26,3 bilhões ante R$ 23,6 bilhões de 2012 (grifo do Dr. Consórcio). De acordo com o presidente executivo da Abac, Paulo Roberto Rossi, vários fatores justificam o crescimento. "Além da maturidade no comportamento, o consumidor está mais consciente sobre os benefícios da educação financeira. Com isso, a atitude de planejar é mais que economizar. É concretizar os sonhos de consumo e formar ou ampliar patrimônio, de forma simples, com disciplina, objetivo definido e menor custo", acrescenta.
"Quando verificamos que um em cada sete automóveis ou uma em cada duas motocicletas foram comercializados via consórcio, constatamos a importância do segmento para todos os envolvidos no Sistema: consumidor, fabricante, comerciante ou prestador de serviços, e, principalmente, sua influência na atividade econômica nacional", complementou o presidente da ABAC.